+35
°
C
+38°
+27°
Teresina
Segunda, 07
Terça
+37° +21°
Quarta
+38° +22°
Quinta
+38° +23°
Sexta
+37° +27°
Sábado
+37° +25°
Domingo
+36° +26°
Ver Previsăo 7 Dias

PELA IMPUNIDADE DE LULA, PLANALTO ARTICULA BLINDAGEM PARA SILENCIAR O BRASIL

PELA IMPUNIDADE DE LULA, PLANALTO ARTICULA BLINDAGEM PARA SILENCIAR O BRASIL

POLÍTICA

Atendendo a solicitação(ordens expressas) da presidenta do Brasil,Dilma Vana Rousseff/PT, mais de 30 senadores da república reuniram-se em Brasília na última quarta-feira(09.03.16), sob a liderança do presidente do senado federal, Renan Calheiros/PMDB/AL, para discutir a viabilização da ideia articulada pelo planalto para bindar LULA.

O ex-presidente da república, réu na LAVA JATO, já com Pedido de Prisão Preventiva expedido pelo Ministério Público de São Paulo, além de ser alvo de investigaçõs internacionais contra ele, seria nomeado pela presidente como Ministro da Secretária do Governo Federal, cargo ocupado atualmente pelo sindicalista Ricardo Berzoini(PT/SP).

A desconfiança dos brasileiros de que o LULA ainda é o presidente do Brasil, e Dilma é apenas uma subordinada, está cada vez mais próxima de ser revelada.

O planalto já se convenceu de que LULA será preso a qualquer momento, u pelo Ministério Público de São Paulo, pelo juiz Federal Sérgio Moro.

Diante de tamanho desespero político dos senadores da república citados na OPERAÇÃO LAVA JATO, e a tira colo que estão envolvidos em crimes contra a administração pública e contra o patrimônio público do Brasil, o planalto pressiona LULA a aceitar a nomeação para ser Ministro de Articulação Política.

Essa estratégia mirabolante de Dilma Rousseff/PT, seria a cartada de mestre para BLINDAR o seu padrinho político, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, silenciando os pedidos de IMPEACHMENT protocolados pela oposição pressionada pelas manifestações de patriotas pelo Brasil.

Uma grande expectativa se acendeu no meio politico sujo para que LULA aceite ser Ministro da Secretaria do Governo Federal.

Se LULA aceitar ser nomeado Ministro, de imediato seriam desaticuladas as ações contra ele da parte do Ministério Público do Estado de São Paulo e das investigações da equipe do juiz Sérgio Moro na Operação Lava Jato.

 Todos os senadores e aliados políticos de partidos de esquerda e de centro-esquerda reunidos demostraram muita apreensão com os ovos rumos da política no Brasil, por conta da grande pressão popular das ruas para o fim da impunidade e da corrupção em que eles estão envolvidos.

A crise política na gestão de Dilma abalou acordos com partidos politicos, estimulando a debandada de uma ala do PMDB, que rompeu com o desgoverno.

Na reunião, o próprio Lula admitiu que o desgoverno de Dilma Rousseff/PT está por um fio de navalha, e que por conta disso, ele não aceitou assumir a nomeação de Ministro, já que tudo indica que FIM DA LINHA para os PLANOS DE PODER TOTALITÁRIO E VITALÍCIO DO PT, se consolidou no Brasil. 

O sindicalista Ricardo Berzoini foi entusiata ao ser informado sobre a possível nomemação de LULA ao cargo em que ocupa, e ainda não sentiu-se incomodado em ocupar outra pasta no governo Dilma, se motivo era salvar a pele do ex-presidente.

Berzoine chegou a dizer: " Qual o time não gostaria de colocar o Pelé em Campo?; A bola sempre esteve com LULA, basta ele querer".

Parlamentares do PT e do PMDB, acessores de Dilma e aliados comunistas afirmaram que a "CAÇADA DO MINISTÉRIO PÚBLICO E DA EQUIPE DE DO JUIZ FEDERAL SÉRGIO MORO", inevitavelmente irá colocar LULA atrás das grades.

Para evitar a PRISÃO DE LULA e assegurar a sua IMPUNIDADE, o ex-presidente do Brasil sofre austera pressão política para aceitar a nomeação como Ministro de Dilma.

O plano mirabolante compromete a legitimidade, legalidade, a moral e a transparência do STF(SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL), já que o foco principal para que LULA ocupe uma cadeira na Esplanada dos Ministérios, é garanti FORO PREVILEGIADO e impedir que ele seja julgado pelo Judiciário Estadual de São Paulo ou pelo Judiciário Federal do Paraná, deixando isso a cargo dos 8 ministros do STF indicados pelo próprio LULA no governo Dilma.

O promotor Cassio Conserino do Ministério Público do Estado de São Paulo, após ser repreendido pelo Conselho Nacionaldo Ministério Público, induzido ao erro pelo deputado Paulo Teixeira(PT/SP) que agiu de má fé para impedir que LULA e sua Eesposa Maria Letícia prestassem depoimento numa audicendia histórica, avisou que "LULA nao seria mais intmado por ele", o que deu a enteder que a partir da desobediência à uma intimação do MPE, ele seria dali para frente preso.

No café da manhã na casa de Renan Calheiros, Lula chegou a dizer que:"Se eu quizese, poderia incendiar o Brasil, mas esse não é o meu papel. Sou um homem de paz."

Diante de tantas declarações indelizes de LULA e dos parlamentares que o apoiam, é certo que a OPERAÇÃO LAVA JATO acendeu uma chama ainda mais implacável, e nenhum deles escapará.

JORNAL DO CENTRO

12.03.16

DEIXE A SUA RESPOSTA ABAIXO