+35
°
C
+38°
+27°
Teresina
Segunda, 07
Tera
+37° +21°
Quarta
+38° +22°
Quinta
+38° +23°
Sexta
+37° +27°
Sbado
+37° +25°
Domingo
+36° +26°
Ver Previso 7 Dias

MORO JÁ ESTÁ COM INQUÉRITOS QUE PODEM COLOCAR LULA NA CADEIA

MORO JÁ ESTÁ COM INQUÉRITOS QUE PODEM COLOCAR LULA NA CADEIA

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL

O Brasil está em festa nesta sexta-feira(24.06.16) por conta da chegada nas mãos do juiz federal Dr.Sérgio Moro, de todos os inquéritos contra o ex-presidente LULA, investigado na OPERAÇÃO LAVA JATO por suposta ligação com as empresiteiras OAS e ODEBRECHT no caso da TRIPLEX DO GUARUJÁ e do SÍTIO em ATIBAIA. 

A decisão foi do ministro Teori Zavascki, alvo em potencial de milhões de posts nas redes sociais contendo críticas pesadas contra ele, por conta da demora no envio ao Judiciário Federal da REPÚBLICA DO PARANÁ, dos inquéritos que podem colocar na cadeia o ex-presidente LULA 

Zavaski é o atual relator da OPERAÇÃO LAVA JATO no STF(Supremo Tribunal Federal (STF).

O juiz federal Dr. Sérgio Moro confirmou nesta sexta-feira(24.06.16) o recebimento dos processos contra o ex-presidente Lula relacionados à OPERAÇÃO LAVA JATO, porém, já havia recebido desde a semana passada.

Também são investigadas as palestras realizadas pelo ex-presidente, contratadas a peso de ouro por empreiteiras envolvidas no escândalo do PETROLÃO por meio da empresa LILS Palestras.

Moro irá investigar se a TRIPLEX DO GUARUJÁ(SP) e o SÍTIO SANTA BARBARA, em Atibaia (SP), pertecem mesmo a LULA, a ainda, as razões pelas quais as empreiteiras Odebrecht e OAS executaram obras milionárias nestas propriedades. 

Moro observou que devem ser juntados aos autos dos processos os grampos telefônicos sobre Lula, exceto o diálogo gravado entre o ex-presidente e a presidente da República afastada, Dilma Rousseff, anulado pela decisão liminar de Zavascki,  ministro do STF.

"Ressalve-se, por óbvio, o diálogo datado de 16/03/2016, entre o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a Exma. Presidente da República Dilma Rousseff, atualmente afastada, já que invalidado", escreveu Moro nesta sexta-feira .

O Ministério Público Federal avaliou que  a conversa entre Lula e Dilma é um dos mais claros exemplos, de “STATUS QUO”,.

Propositalmente, a nomeação de LULA como ministro da Casa Civil ao antigo desgoverno de DILMA ROUSSEFF/PT,  tinha o único objetivo de blindar o ex-presidente contra as investigações da OPERAÇÃO LAVA JATO, transferindo a responsabilidade de julgamento ao STF, composto por mais de 5 ministros indicados por LULA e que devem o favor a ele.

Na interceptação telefônica feita pela POLÍCIA FEDERAL, lula afirmou que seu o STF era “uma corte totalmente acovardada”.

Ao analisar um pedido da defesa da presidente afastada Dilma Rousseff sobre a legitimidade dos grampos, na semana passada, Teori Zavascki criticou enfaticamente a decisão de Sergio Moro.

Para o ministro, o juiz federal usurpou a competência do STF ao dar publicidade às conversas telefônicas envolvendo Dilma Rousseff.

No entanto, Moro foi elogiado por magistrados federais pela coragem que teve de expor ao Brasil a podridão dentro da POLÍTICA NACIONAL BRASILEIRA.

Segundo Teori, não caberia a Moro valorar a utilidade ou não da conversa entre Lula e Dilma sobre a nomeação do ex-presidente para a Casa Civil.

"A violação da competência do Supremo Tribunal se deu no mesmo momento em que o juízo reclamado [Sergio Moro], ao se deparar com possível envolvimento de autoridade detentora de foro na prática de crime, deixou de encaminhar a este Supremo Tribunal Federal o procedimento investigatório para análise do conteúdo interceptado.

E, o que é ainda mais grave, procedeu a juízo de valor sobre referências e condutas de ocupantes de cargos [com foro privilegiado].

Mais ainda: determinou, incontinenti, o levantamento do sigilo das conversas interceptadas, sem adotar as cautelas previstas no ordenamento normativo de regência, assumindo, com isso, o risco de comprometer seriamente o resultado válido da investigação", atacou Teori.

JORNAL DO CENTRO/PR
DO TAMANHO DO BRASIL
24.06.16
PODER JUDICIÁRIO FEDERAL

O Brasil está finalmente vivendo uma das maiores revoluções de sua história.

A atuação do Juiz federal Sérgio Moro no combate à corrupção está renovando a esperança e o orgulho de milhões de brasileiros de todas as gerações país afora.

Pessoas de todas as idades testemunham pela primeira vez na vida a prisão dos típicos criminosos do colarinho branco como políticos influentes, empresário poderosos executivos

A Operação Lava Jato está apenas no começo e já ameaça os interesses de gente muito poderosa.

O juiz federal Sérgio Moro, membros de sua equipe e até mesmo familiares já sofreram ameaças de morte.

A vida destes homens está em perigo e apenas uma mobilização nacional maciça poderá garantir não apenas sua segurança, mas fortalecer os trabalhos da Lava Jato com propósitos de livrar o país dos corruptos.

O  ex-delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz já havia denunciado no ano passado, que o juiz Sergio Moro vinha recebendo telefonemas, ameaças e pressões. 

Ainda de acordo com o relatos, a mãe do juiz, que mora numa grande cidade do interior do Paraná, vive deprimida, reclusa em casa e só circula na rua sob escolta policial.

Pelo andamento das investigações, os procuradores da Força Tarefa de Curitiba estão dispostos a realizar uma verdadeira faxina na vida política nacional.

Entre os alvos, estão dezenas  de deputados, senadores e empresários que ainda sequer foram citados.

Além de todos os possíveis envolvidos em esquemas ilícitos, as investigações chegaram no ex-presidente Lula e na atual presidente Dilma Rousseff/PT.

O povo brasileiro precisa se mostrar maduro, vigilante e preparado para o pior. 

A sociedade já provou sua capacidade de demonstrar força e permanecer coesa perante outros desafios, como na luta por eleições diretas e na deposição de Collor.

O povo já se mostrou capaz de respeitar, defender ou mobilizar milhões de pessoas na defesa de interesses diversos, como os que envolvem direitos civis, religiosos ou do ESTADO DE DIREITO.

Será desta vez que o povo irá ficar de braços cruzados após tantas revelações sobre a verdadeira identidade dos atores corruptos?

Será que ficarão impunes os mesmos que atuam nos bastidores do poder repetindo o mesmo roteiro secular de sangria dos cofre públicos?

Ou todos devem se conformar, caso algum dos integrantes da Operação Lava Jato sofra algum tipo de golpe que os impeça de prosseguir lavando a alma dos brasileiros?

É um dever de todos os membros da sociedade civil e do Estado zelar pela garantia da segurança dos cidadãos no exercício de seus direitos fundamentais.

Permitir que criminosos atentem contra a atividade dos representantes da lei significa permitir a violação da liberdade e da democracia.

É preciso impedir o surgimento de uma manchete nos jornais noticiando o assassinato do juiz Sérgio Moro, o que certamente significaria uma sentença de eternização da IMPUNIDADE no país.

As manifestações de apoio servem não apenas para estimular que as investigações avancem, mas também para fortalecer a perspectiva do JUDICIÁRIO FEDERAL, que atiça a esperança do povo.

Apenas a demonstração da força do povo nas ruas será capaz de deter os planos das forças ocultas que tramam contra a vida e o trabalho do juiz federal Sérgio Moro e de membros de sua equipe.

O esforço e dedicação desta gente merece uma retribuição significativa da sociedade.

No dia 13 de março nas ruas e praças do todo o país.

SOMOS TODOS SÉRGIO MORO

JORNAL DO CENTRO

06.03.16

ESCREVA O SEU COMENTÁRIO ABAIXO

" />