+35
°
C
+38°
+27°
Teresina
Segunda, 07
Tera
+37° +21°
Quarta
+38° +22°
Quinta
+38° +23°
Sexta
+37° +27°
Sbado
+37° +25°
Domingo
+36° +26°
Ver Previso 7 Dias

JAPONÊS DA POLÍCIA FEDERAL FOI PRESO POR CORRUPÇÃO

JAPONÊS DA POLÍCIA FEDERAL FOI PRESO POR CORRUPÇÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

Condenado a quatro anos e dois meses de prisão, Newton Ishii, famoso por conduzir os presos da Operação Lava Jato em Curitiba, virou detento nesta terça-feira.(07.06.16)

Conhecido por conduzir os alvos da Operação Lava-Jato, Newton Ishii, o "Japonês da Federal", foi preso na manhã de terça-feira(07.06.16) em Curitiba. 

O mandado de prisão foi expedido pela Vara de Execução Penal da Justiça Federal, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

O processo transitou em julgado, ou seja, não cabe recurso.

Em março, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou parcialmente o recurso de Ishii e manteve a sentença da Justiça Federal no Paraná, que ocondenou por corrupção e descaminho, por ter facilitado a entrada no Brasil de produtos contrabandeados do Paraguai. 

O "Japonês da Federal", que até ganhou marchinha de Carnaval, foi um dos 19 policiais federais alvos da Operação Sucuri, deflagrada em 2003 para apurar um esquema formado por agentes da PF e da Receita Federal que facilitava o contrabando de produtos ilegais na fronteira com o Paraguai em Foz do Iguaçu.

Diferente dos presos da Lava Jato que ele ajudou a conduzir para a PF em Curitiba ao longo das 30 fases da emblemática operação de combate à corrupção, Ishii está em uma de sala separada na sede da Polícia Federal e não na carceragem.

A condenação foi mantida pelo STJ em março deste ano, que determinou pena de quatro anos e dois meses de prisão o que, na prática, permite que ele cumpra sua condenação já no regime semiaberto.

O cumprimento da pena, contudo, ainda precisa ser definido pelo juiz de Foz do Iguaçu.

Ishii responde a três processos, derivados da Operação Sucuri, sendo um na esfera criminal, outro administrativo e um terceiro por improbidade administrativa.

Ele está em uma sala separada na Superintendência da Polícia Federal.

Em 2003, Ishii foi condenado a quatro anos e dois meses pelo crime de facilitação de contrabando e chegou a ser preso pela própria PF durante a Operação Sucuri, suspeito de integrar uma quadrilha que realizava contrabando na fronteira do Brasil com o Paraguai. 

Acusado de corrupção, acabou sendo expulso da Polícia Federal.

OPERAÇÃO LAVA JATO

O ex-policial federal Newton Ishii foi citado durante uma conversa gravada entre o ex-senador Delcídio do Amaral; o filho de Nestor Cerveró, Bernardo Cerveró; e o advogado Edson Ribeiro.

O diálogo foi divulgado em novembro do ano passado e levou à prisão de Delcídio. 

Na conversa, o ex-senador se refere ao agente federal como “policial bonzinho”.

Em seguida, Edson afirma que “o Japonês” seria o carcereiro da PF responsável pelo vazamento de informações sigilosas da Operação Lava Jato para a imprensa.

Minutos depois, o advogado chega a citar o nome de Newton.

De acordo com o advogado do agente, Oswaldo de Mello Junior, Ishii foi condenado a quatro anos, dois meses e 21 dias em virtude da OPERAÇÃO SUCURI, a qual descobriu envolvimento de agentes na entrada de contrabando no Brasil.

As investigações mostraram que os agentes facilitavam a entrada de contrabando no país, pela fronteira com o Paraguai, em Foz do Iguaçu.

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL e o JUDICIÁRIO FEDERAL. estão empenhados em fazer no Brasil uma grande FAXINA GERAL, e não escapará nehuym corrupto a solta por ai.

JORNAL DO CENTRO/PR

DO TAMANHO DO BRASIL

08.06.16

VOCÊ PODE ESCREVER SUA OPINIÃO?   É DIREITO SEU!